quarta-feira, 14 de novembro de 2012

TRANSFORMANDO AS CIRCUNSTÂNCIAS


O amor, a bondade, a graça e a misericórdia de Deus são atributos tão extraordinariamente maravilhosos, capazes de transformar situações adversas em experiências abençoadoras.

Muitas vezes não compreendemos circunstâncias que cercam a nossa vida, trazendo tamanho desconforto, dor, lágrimas e sofrimento. Entretanto, há sempre na Palavra de Deus preciosas promessas investidas do carinho, do consolo e da força que emanam do próprio Senhor.


Ele promete abrir um caminho no deserto e rios no ermo (Is 43:19b); endireitar os caminhos tortuosos, quebrar as portas de bronze e despedaçar as trancas de ferro (Is 45:2).






Na cova dos leões Ele amordaça a boca das feras; 







Na fornalha aquecida sete vezes, Ele é o quarto Homem capaz de destruir a força do fogo. 




Quando bramam os mares e as águas tentam nos afogar, Ele estende a Sua mão e nos transporta para um lugar seguro. No cansaço da caminhada Ele é a Fonte de água capaz de refrescar e restaurar a alma.



Ele, somente Ele, o Deus que é Pai, o Filho que é Senhor e o Espírito Santo que é o Consolador escreve histórias com finais felizes ainda que o enredo seja marcado por aparentes desventuras. Honra, glória, louvor e adoração somente a Ele.


Que você tenha uma semana no aconchego de mãos tão poderosas e que o seu caminho seja marcado por presença tão amorosa.

terça-feira, 6 de novembro de 2012

APRENDENDO COM A NATUREZA



A formiga trabalha incansavelmente armazenando provisão para o inverno. Chega a ser divertido olhar tão pequena criatura, às vezes, carregando uma grande folha. Mas, para ela não há nada de diversão a não ser trabalho árduo focando no objetivo da provisão para tempos difíceis.

A águia, depois de uma certa idade, busca renovar-se, de maneira que possa continuar tendo forças para capturar a sua presa e assim, viver por mais algumas décadas, ganhando as alturas.



O João-de-Barro, dia após dia, busca material para construir a sua casa. Continuamente e pacientemente o habilidoso arquiteto e construtor conclui sua obra.



Força, trabalho, edificação, renovação se fazem presentes na constituição desses pequenos seres. O Criador assim os fez, cada um distintamente com o instinto necessário para a preservação e sobrevivência.

O nosso Pai, que é o Criador de todas as coisas também de maneira distinta nos capacita com toda a habilidade, conhecimento e provisão, força e sabedoria, para que possamos ser preservados e prevalecermos na nossa trajetória de vida. Ele é a força do Seu povo e Ele abençoa o Seu povo com paz de acordo com o salmista (Salmo 29).

Quando armazenamos da provisão d’Ele na nossa vida nos dias ensolarados, teremos condições de sobreviver aos dias sombrios e frios.

Quando entendemos que d’Ele emana poder para nos renovar e fortalecer, podemos encontrar a renovação necessária para alçar voos mais altos, experimentando de propósitos maiores.

Quando temos a consciência de que estamos envolvidos em um grande projeto, recebemos da parte d’Ele o discernimento para mantermos o foco na realização de tão grande obra, sem desviarmo-nos para aquilo e aqueles que são contrários ao nobre projeto confiado a nós.

Assim, olhemos para a natureza procurando compreender acerca de algumas verdades para a nossa própria vida. Olhemos firmemente para o Autor e Consumador da nossa fé.

Mas os que esperam no SENHOR renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam (Isaías 40:31).

Uma semana cheia de força, renovo e realizações para você.








segunda-feira, 29 de outubro de 2012

FAZENDO AS ESCOLHAS CERTAS


Em tempos difíceis, metaforicamente chamados de desertos ou vales, nós precisamos fazer escolhas refinadamente acertadas.

Podemos simplesmente fugir ou desoladamente nos prostrar ou ainda lançar mão das dificuldades para viver experiências extraordinárias, a partir da consciência de que não estamos sozinhos na travessia dos desertos ou vales.


A azeitona esmagada no Getsêmani produz o azeite e a uva pisada no lagar produz o vinho. Assim é a nossa vida.

Quando pressionados, esmagados, pisados, decepcionados, podemos liberar uma porção maior da seiva e da unção vinda d'Aquele que por amor a nós viveu o terror do Getsêmani e foi moído no escândalo da cruz.

Diante de um amor tão extravagante, sentimo-nos constrangidos e impulsionados a caminhar pelo deserto lançando sementes abençoadoras na vida de tantos outros.Trabalhar buscando ser instrumento de bênção e restauração para outras pessoas é um meio de tornar o deserto em manancial de águas.
Nos dois últimos finais de semana pude vivenciar momentos tão especiais em que a unção de Deus foi liberada sem medida na vida de preciosas mulheres na cidade de Dourados no Mato Grosso do Sul, assim como na cidade de Recife, em Pernambuco.

Vidas restauradas e mais comprometidas com o Senhor, casamentos melhorados e renovação de propósitos foram frutos colhidos vindos da semente chamada trabalho. Trabalho que não tem outro fim maior do que cooperar para a expansão do Reino do Senhor.


Bem- aventurado o homem cuja força está em ti, em cujo coração se encontram os caminhos aplanados, o qual, passando pelo vale árido, faz dele um manancial; de bênçãos o cobre a primeira chuva. Vão indo de força em força; cada um deles aparece diante de Deus em Sião.
Salmos 84:5-7

UMA SEMANA CHEIA DE FRUTOS PARA VOCÊ.

No precioso e inabalável amor de Cristo Jesus.  







segunda-feira, 1 de outubro de 2012

ATOS DO SENHOR EM CURITIBA



Fim de tarde, estou no hotel no centro de Curitiba me preparando para o último compromisso desta jornada. Chegamos agora à pouco de uma cidade da Grande Curitiba onde ministrei no I Congresso da Primavera, da Igreja Batista da Alameda. A paisagem e o cenário de onde estávamos era algo paradisíaco. O verde, as plantas, o lago, as flores, os pássaros e aquele friozinho aconchegante. Não muito familiar para quem não é do sul do país.

A atmosfera espiritual era de um calor intenso pela presença gloriosa do Espírito Santo que brilhou com uma intensa luz vasculhando o coração das mulheres. Como um Oleiro habilidoso Deus trabalhou, quebrando e refazendo. Restaurando e decorando cada vaso representado na vida de cada congressista. Quebrantamento e rendição. Louvor e adoração. Transformação. Testemunhos. Vidas impactadas pelo mover gracioso de um Deus que é assustadoramente amoroso.

O que está por trás de tanta glória manifesta? Orações, intercessões, jejuns clamor de um povo sedento pela presença manifesta do Todo-Poderoso. Agora, quando me preparo para ministrar para toda a igreja meu coração se renova com grandes expectativas por aquilo que Deus ainda fará no meio desse povo tão precioso. Quebrantamento e unção. Vasos cheios, transbordantes da graça, do amor e da glória de Deus.

Mais uma vez... Atos do Senhor.






segunda-feira, 24 de setembro de 2012

ATOS DO SENHOR EM CAÇAPAVA


A semana fora intensa depois de participar de um seminário em que a gente é confrontada pelo Senhor, quebrada, esmiuçada e refeita. Chegando em casa na quinta-feira por volta de 13:30 para almoçar, fazer malas e viajar para a cidade de Caçapava – SP. O cansaço me deixava apreensiva quanto ao desempenho da ministração naquele encontro de casais. Minha mente cansada poderia gerar esquecimentos, uma vez que eu me sentia necessitada de dormir o bastante para me refazer.

Orei me entregando inteiramente ao mover do doce Espírito na minha vida, para que eu pudesse ser instrumento de restauração, edificação e transformação de vidas e famílias.

Foi muito lindo experimentar a graciosidade e o mover do Espírito de Deus fluindo de maneira que eu não precisava nem mesmo consultar com frequência o conteúdo escrito. Foi um dia maravilhoso! Ouvi o depoimento do pastor responsável pelo trabalho, relatando acerca de casais que estavam em conflitos e que saíram de mãos dadas daquele encontro.

Uma irmã testemunhou que eu estava relatando sua própria vida. Ela disse: Parecia que estávamos apenas nós duas neste lugar. E você falava diretamente para mim. Disse ainda acerca da sua determinação de mudança, buscando viver segundo os princípios da Palavra.
 
Outros casais demonstraram gratidão pela palavra ministrada que lhes edificou, trazendo-lhes a consciência da necessidade de fazerem a escolha como construtores de vida em família.
 
Mais uma vez contemplei os Atos do Senhor na fragilidade do meu ser e através desta fragilidade, pois, o poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza.

Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições- , nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte (2 Co 12:9-10)


segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Oração

Olá queridos (as),
Nesta semana quero compartilhar com vocês um pequeno texto sobre a oração. Como é importante este momento de entrega a Deus, este momento de comunhão com o nosso Senhor.
Espero que todos sejam edificados.
Com carinho,
Iara

Cremos que as pessoas não se aventuram a uma vida de oração porque desconhecem o que seja verdadeiramente a oração. O que é oração? Alguém pode responder que oração é falar com Deus. Não está errado, pois o vocábulo oração também significa discurso ou uma fala dirigida a alguém. Contudo é uma resposta superficial. Orar, à luz da Palavra de Deus, é algo bem mais transcendente, que deve expressar a sede e o desejo de ter a vida do próprio Deus, por meio de uma intimidade harmoniosa e permanente. Essa idéia é expressa pelo salmista: A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo; quando irei e me verei perante a face de Deus? (Sl 42.2.) A oração é, portanto, a rede de ligação do espírito do homem com o Espírito do próprio Deus. E, através de um circuito bem-ajustado, tudo o que somos é transmitido para o Senhor, e tudo o que ele é se transmite a nós.

Sendo assim, oramos primeiramente para estabelecer uma profunda comunhão com o nosso Deus, através da adoração, do louvor e da gratidão. O nosso segundo propósito deve ser ver a sua vontade sendo cumprida de maneira plena em nossa vida e na vida pela qual oramos. E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. (1Jo 5.14.) E, finalmente, oramos para buscar quietude de alma, apresentando a ele nossas súplicas, permeadas de nossos sonhos, temores, inquietações, apreensões, preocupações, frustrações e qualquer outro sentimento que, porventura, esteja a desassossegar a alma.

Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graça. E a paz de Deus que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus. (Fp 4.6,7.)

É importante ressaltar que Deus se agrada de um coração limpo e transparente. Não podemos usar de falsos argumentos, tentando camuflar aquilo que estamos realmente sentindo. Davi expressou:

Senhor, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me assento e quando me levanto; de longe penetras os meus pensamentos. Esquadrinhas o meu andar e o meu deitar e conheces todos os meus caminhos. Ainda a palavra me não chegou à língua, e tu, Senhor, já a conheces toda... Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? (Sl 139.1-4,7.)

Assim, o melhor a fazer é abrir o coração através de uma conversa franca e direta com aquele que tudo conhece.
> Este texto faz parte do livro "A Plenitude da Mulher Cristã" (Iara Diniz)

segunda-feira, 30 de julho de 2012

“Quem escolhe meu cônjuge: Deus ou eu?

Boa tarde queridos (as),

Escolhi um tema bem especial para esta semana. O texto abaixo é parte de um dos capítulos do livro "Casamento com propósito" que lançei em setembro de 2011. Um livro que fala sobre o casamento como um todo, com mensagens para os casados e para você que está à espera.

Espero que sejam edificados.
Com carinho,
Iara



Não queremos aqui abrir uma discussão teológica ou filosófica em torno do assunto livre arbítrio. Partirei do pressuposto de que, se Jesus é Senhor da nossa vida, Seu senhorio deve ser estabelecido de modo prático em cada uma das nossas vivências.         

Para compreender o senhorio de Cristo, faz-se necessário compreender, primeiramente, o Seu amor, para não ter medo da vontade d’Ele para conosco. No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo... 1 Deus não forçará ninguém a se casar com alguém com quem não tenha uma relação de afeto, amor, atração, identificação. A Sua vontade é sempre “boa, agradável e perfeita”.

Preocupo-me quando alguém diz que vai se casar, porque recebeu uma revelação de que tal pessoa será seu esposo ou sua esposa. Neste momento, enquanto escrevo, lembro-me especificamente de uma moça a quem atendi com um relato de casamento destruído. O rapaz apresentava sérios problemas psíquicos, enquanto ela dizia nunca ter nutrido por ele nenhum sentimento de afeto. Enfim, a vida estava um caos.  Ao perguntar-lhe por que havia se casado, ela respondeu que se casou, porque Deus falou, por meio de uma profetisa, que aquele moço seria seu esposo. Foi Deus quem falou? Essa moça estava vivendo de acordo com a vontade boa, agradável e perfeita de Deus? Claro que não! Por não conhecerem a Deus e Sua Palavra, as pessoas entram por caminhos de destruição e ainda culpam a Ele.

Querido leitor, se Deus falou com alguém, Ele vai falar com você também. Nele não há confusão. O que vem d’Ele vem revestido de doce paz, alegria e forte convicção. É preciso “julgar todas as coisas e reter o que é bom.” Quando se tem uma vida conduzida pelo Espírito Santo e um profundo anseio de ser direcionado por Ele, Ele se encarregará de apontar a direção certa.   

Além da paz, que é o árbitro em nosso coração, e da forte convicção quanto à escolha certa, faz-se necessário conferir se tal escolha não entra em choque com a Palavra de Deus.  Todas as evidências podem estar indicando favoravelmente uma determinada pessoa, mas, se esta pessoa não corresponde a um dos principais requisitos para um casamento com propósito, que é amar, servir e obedecer a Deus, o sinal tornou-se “vermelho” e não se pode prosseguir.

Quando eu era solteira, juntamente com uma preciosa amiga, orávamos buscando de Deus nosso esposo. Essa amiga havia namorado um rapaz que não era verdadeiramente cristão. Certa senhora, a quem ela respeitava, passou a lhe entregar “profecias”, dizendo que aquele jovem seria seu esposo. Mas ele, em momento algum, demonstrava interesse por Jesus e por Sua Palavra. Em conversa, no meu papel de amiga, fui enfática em dizer que reatar o namoro com aquele moço não estaria em conformidade com a Bíblia, pois o Apóstolo Paulo nos orienta a não estabelecermos alianças com quem não teme a Deus.2 Minha amiga atentou para a Palavra de Deus e continuou a orar e a esperar no Senhor. Deus salvou e transformou um jovem lá no estado do Amazonas e o trouxe para cursar Teologia em um Seminário em Belo Horizonte. Minha amiga o conheceu no Seminário e se apaixonou por ele. Foi correspondida, e estão casados há mais de 30 anos, em um casamento com propósito, servindo ao Senhor como pastores de uma Igreja no interior do Estado de Minas. Deus é fiel!
* Para adquirir "Casamento com propósito", acesse: http://www.edificandoumnovolar.com.br/site/?page_id=13


quinta-feira, 26 de julho de 2012

Valorizando a família

Queridos (as)
Bom dia!
Há alguns meses escrevemos sobre o tema "Valorizando a família" para o Jornal Atos Hoje da Igreja Batista da Lagoinha. Gostaria de compartilhar com vocês esta realidade. Juntos podemos fazer toda a diferença.
Deus os abençoe!!
Com carinho,
Iara




Meu coração enche de saudades quando me lembro da minha família na época em que eu era criança ainda. Quantos momentos preciosos eu passei na cozinha de casa, ao redor da mesa, ouvindo papai e mamãe contar histórias. Eram importantes também as “broncas” que levávamos ali. Nunca me esquecerei daquele tempo. Estudar, brincar e viver com a família. Minha vida era simples, tínhamos alguns problemas, mas como eu era feliz!

A adolescência chegou, e apesar de muitas mudanças dentro e fora de mim, fazia toda a diferença voltar para a casa da escola e ter meu pai e minha mãe, dispostos a me ensinar, a me educar a me amar. Como isto teve valor para mim!

Tivemos a oportunidade, eu e Ciro, de criar Isabella e Alexandre assim. Ao redor da mesa, conversando sobre os altos e baixos da vida. Vivendo no caminho do Senhor, plantando a semente de vida para que, quando adultos, eles não se desviassem. Mas confesso, em muitos momentos sei que nossos filhos (hoje adultos e casados, para a glória de Deus) entravam em choque com o que seus amigos viviam em casa.

As casas hoje, digo casa porque acredito que lar é lugar de amor, refúgio e crescimento, são frutos de uma sociedade que não valoriza a família. Cada um tem o seu computador, algumas casas nem tem mesa para as refeições, os horários não coincidem e pais e filhos passam dias sem se ver.

E o agravante de tudo isto é que os jovens que foram e estão sendo criados assim, vão gerar famílias ainda mais distantes, sem laços e sem amor. A sociedade hoje fala de uma liberdade que eu não conheço. As crianças são despertadas para o sexo ainda cedo, elas têm controle sobre o que querem e não querem fazer. Algumas até já controlam a mesada que recebem gastando com aquilo que é prioridade para elas.

Mas confesso, liberdade para mim era poder correr, brincar e ter a certeza de que meus pais estavam olhando por mim. Indiferente da situação, de perigo ou de mudança, eu tinha a certeza de que eles me protegiam e queriam o melhor para mim.

Meu coração dói de pensar como uma jovem que perde a virgindade ainda criança, larga a escola e vive nas baladas será uma boa mãe e esposa se ela chegar a se casar? Ou como um homem pode ser o guardião de sua casa, cuidando de sua família se ele se envolveu bem cedo com drogas, mentiras e promiscuidades, muitas vezes debaixo dos olhos dos pais?

Sabe de onde vem a luz? Da Cruz. Somente através de Jesus podemos mudar estas histórias. Mas e aqueles que escolherem viver a vida como aprenderam? E aqueles que vivem a vida sem esperança, morrendo um pouco a cada dia? Esta é a sociedade em que vivemos. Sem esperança, sem visão de futuro, apenas vivendo loucamente cada dia.

E isto tem gerado nos corações o desejo por não se ter uma família.

“Para que viver com meus pais, dentro de regras e limites, obedecendo a eles? Eles são caretas, só querem pegar no meu pé” - e assim mais uma jovem vai morar fora de casa e se entregar ao que acha que é bom.

“Eu sou homem, ganho meu dinheiro e quero curtir a vida. Não preciso de ninguém para mandar em mim. Casar? Jamais” - e assim menos um filho em casa, recebendo amor e cuidado. O que poderá dar para as pessoas com quem se relacionarem?

“Sou muita nova, vou deixar esta criança na lixeira, alguém vai cuidar dela. Tenho muita coisa para viver ainda” - duas vidas destruídas por falta de amor.

“Mas minha mulher é chata e já não é tão bonita como antes, adultério é normal entre os homens, vou apenas dar umas saidinhas” - mais um casamento destruído.

A desvalorização da família é uma das características da sociedade de hoje. Por conta disto, estamos vendo tanto assassinatos, escândalos, adultérios, roubos, promiscuidade...

Cabe a nós, buscar minuto a minuto a restauração do valor da família. A família é a base da sociedade, e famílias desestruturadas geram uma sociedade abalada. Jesus pode mudar esta realidade.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Quatro valiosas expressões

Bom dia!
Que a doce presença do Espírito Santo os envolva nesta sexta-feira.
O texto que trago neste dia é um trecho do livro "Edificando Um Novo Lar", escrito por mim e por meu esposo.
Um dos temas que tratamos é o perdão. Gostaria de falar sobre quatro valiosas expressões que envolvem este tema.
Espero que sejam abençoados.
Com carinho,
Iara


Existem quatro expressões fundamentais no relacionamento conjugal. Conceituados escritores na área de família ressaltam a importância do uso de tais frases. São elas: “Eu errei”; “Por favor, me perdoe”; “Eu te perdôo” e “Eu te amo”.


Eu errei
Admitir que errou não faz parte da natureza humana. Dificilmente temos a prontidão para abrir a boca e dizer: “Eu errei”. Quando aconteceu a queda do homem, Deus o questionou. Adão transferiu a responsabilidade do pecado para a mulher. Eva, por sua vez, a lançou sobre a serpente e acho que, se pudesse, esta olharia para trás, buscando a quem culpar. Desde então tem sido assim, especialmente no relacionamento familiar. Um cônjuge busca apontar sempre o erro do outro, esquecendo-se de olhar cada um para si mesmo, se propondo a fazer uma mudança pessoal, a fim de alcançar o bem comum. Essa culpa também se estende ao relacionamento entre pais e filhos. Há pais que pecam contra os filhos sem jamais admitir que erraram.

A boa notícia é que podemos permitir a mudança desse quadro a partir do momento que atingimos maturidade espiritual e emocional, deixando o Espírito Santo de Deus nos sondar, levando-nos à consciência do erro.

Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno. (Sl 139.23,24.)



Por favor, me perdoe
Essa declaração vem imediatamente após a primeira: “Eu errei. Por favor, me perdoe”. Quando isso acontece, as correntes da indiferença, do distanciamento, da insegurança e da tristeza são rompidas.



Eu te perdôo
Essa é a resposta ao pedido de perdão. Quando essa frase é pronunciada, nas regiões celestes acontece um rebuliço. O coração do Senhor se alegra, seu nome é exaltado por anjos que celebram a vitória do casal, e Satanás e seus demônios esbravejam pela frustração de seus objetivos.



Eu te amo
Essa é uma expressão doce, gostosa e agradável de ouvir e de dizer. Enquanto solteiros, essa frase desliza facilmente dos lábios do casal apaixonado. Melhor e mais importante que no período de namoro é continuar ouvindo e dizendo “Eu te amo” durante os anos de vida a dois. O “Eu te amo”, depois das três primeiras expressões, funciona como selo do processo de perdão. A mágoa desaparece, dando lugar a um amor mais consciente, provado, amadurecido e fortalecido.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Solidão - como lidar com ela!

Olá queridos (as).
Bom dia.
Para esta semana separei um pequeno texto sobre solidão. Este texto foi escrito há alguns meses quando falamos deste tema no Culto da Família. Minha expectativa é que ele venha a abençoar o seu dia.
E creia, nunca estamos sós. Jesus está sempre ao nosso lado!!
Com carinho
Iara


Quando a solidão ataca

A solidão é hoje um dos grandes medos do ser humano. Há pessoas que se sentem sozinhas, inclusive, em meio à multidão. Ninguém, verdadeiramente, gosta de viver só.

No entanto, algumas circunstâncias da vida podem levar a pessoa a viver em solidão. A perda de cônjuge, a mudança para uma cidade distante da família, o casamento dos filhos.

A Palavra de Deus diz que um dos nomes do Senhor é Emanuel, que significa Deus conosco (Isaías 7:14). Ele está ao nosso lado em todo o tempo. O salmista escreveu “Porque, quando meu pai e minha mãe me desampararem, o SENHOR me acolherá” (Salmos 27:10). Ou seja, ainda que as pessoas deixem de estar conosco por qualquer motivo, Deus sempre se fará presente em nossa vida.

Desde o Éden, passando pela crucificação de Cristo, Deus sempre quis nos mostrar que Ele nos quer inteiramente para Ele e que somente Ele é digno de adoração. Muitas vezes a solidão vem por um apego excessivo a alguma pessoa. Quem nunca sofreu pelo fim de um namoro ou a separação de uma grande amizade? Não é errado sentir a falta de alguém, o que não devemos, jamais, é abrir mão da vida por causa da separação.

Em todo o tempo, Deus está perto de nós, sempre atento aos nossos sentimentos, pensamentos e necessidades. Inclusive, é permissão Dele todo e qualquer relacionamento no qual nos envolvemos. Tudo o que acontece ao nosso redor está no controle Dele e tudo ocorre conforme Seus planos eternos. Que maravilhosa segurança o Senhor nos dá! Que amor é este que em todo o tempo está ao nosso dispor, para nos ouvir e para nos ajudar!

Esta é a certeza que devemos ter como motivação para a vida: ainda que a morte leve pessoas que amamos ou que as circunstancias nos afastem de outras, Deus está sempre conosco e quer que o amor Dele nos baste!

terça-feira, 3 de julho de 2012

Intercessão e Casamento

Queridas,
Bom dia.
Gostaria de deixar uma mensagem sobre intercessão para vocês. Este texto é um pequeno trecho de um dos livros que escrevi: A plenitude da mulher cristã.
Oro para que esta palavra venha abençoar a vida de todas vocês.
Em breve publico mais alguns trechos sobre este assunto valioso: a intercessão.
Com carinho,
Iara



Queremos agora destacar o ornamento da intercessão na vida da mulher cristã, que é de valor imensurável, para tornar a sala do casamento bonita, agradável, aconchegante e sólida. O homem que tem uma esposa intercessora é bem-aventurado, pois a intercessão gera fortalecimento espiritual, traz direção. A esposa deve praticar a oração intercessória em favor do marido de maneira contínua e abrangente. Existem mulheres que passam os dias atormentadas pelo medo de acontecer algo com o marido. Medo de outras mulheres, medo de acidentes, medo do fracasso, medo da perda do emprego. O medo e a preocupação nada podem fazer para evitar situações de dissabor; a intercessão, sim. Quando oramos pelo marido, entregando-o aos cuidados do Deus Todo-Poderoso, podemos descansar, pois compartilhamos, através da intercessão, do mesmo sentimento do coração do Pai que é preservar, abençoar, livrar, sustentar, salvar, libertar, restaurar. Dessa maneira, nos posicionamos como interceptoras dos planos de Satanás contra o nosso marido.
No livro de Provérbios, capítulo 31, verso 25, está escrito que a força e a dignidade são os vestidos da mulher virtuosa, ou seja, da mulher que experimenta plenitude de vida. Diz ainda que, quanto ao dia de amanhã, ela não tem preocupações. Esse texto sugere que a mulher seja valente, guerreira, forte, lutadora pelo seu casamento, usando as armas propostas pela Palavra de Deus.
Porque, embora andando na carne, não militamos segundo a carne. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas; anulando nós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo. (2Co 10.3-5.)
Sinto-me impelida a deixar aqui registrada uma palavra para aquela leitora que talvez esteja enfrentando um problema com o adultério do marido. Querida, seja valente para lutar, perdoar e resgatar seu marido. Não abra mão daquilo que é seu por direito. A esposa é você, não a outra. Não desista! Busque ajuda com pessoas autorizadas por Deus para estarem aconselhando, orando com você e por você. Pessoas que acreditam no propósito indissolúvel de Deus para o casamento, que crêem no poder de Deus que restaura todas as coisas.
E agora, uma orientação para toda esposa. Ore sempre, diariamente, pedindo ao Senhor que converta o coração do seu marido ao seu coração, e o seu ao dele. Clame por unidade e comunhão. Peça para que Deus os faça se sentirem atraídos um pelo outro. Ore pelo relacionamento íntimo, para que este seja prazeroso, agradável, bonito e santo.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Ansiedade e família

Queridos,
Bom dia.
Há alguns meses atrás falamos sobre este tema em um de nossos cultos.
Gostaria de compartilhar alguns dados e observações.
Espero que esta mensagem venha abençoar a vida de vocês.

Com carinho,
Iara

Segundo o site de pesquisa Wikipédia, ansiedade, ânsia ou nervosismo é uma característica biológica do ser humano, que antecede momentos de perigo real ou imaginário, marcada por sensações corporais desagradáveis, tais como uma sensação de vazio no estômago, coração batendo rápido, medo intenso, aperto no tórax, transpiração etc.

No Brasil aproximadamente 12% da população sofre de ansiedade, de acordo com do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas (USP), o que representa quase 24 milhões de brasileiros com ansiedade patológica (e não meramente ansiosos).

A ansiedade é como o cupim. Ele está dentro da madeira e você não o vê. Quando percebe, o armário cai. A ansiedade se desenvolve calada. Muitas vezes, as pessoas por serem mais agitadas, com alto ritmo de trabalho, não percebem que são ansiosas. Em outros casos, pessoas paradas demais, lentas e até tímidas, desenvolvem a ansiedade na mente e no corpo, pois determinados tipos de ansiedade tornam-se paralisantes.

Com o ritmo acelerado de uma geração de informações neste mundo globalizado e cibernético, a ansiedade acaba por atingir cada vez mais pessoas. São tantos os elementos externos que nos envolvem e acabamos por não conseguir acompanhar as situações sem a ansiedade.

Na Palavra de Deus, em Filipenses 4.6-7, lemos "Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graça. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus".

Cristo é o nosso porto seguro! Ele é a resposta de que precisamos para colocar as coisas no lugar. Do Senhor vem o refrigério para nossas angustias, expectativas ou temores. Quando entregamos tudo nas mãos de Deus, Ele se encarrega de planejar nossa vida, e nos ajudar a viver cada dia conforme Sua doce vontade.

A família tem um papel fundamental na vitória sobre a ansiedade. Muitas vezes palavras de desânimo, cobrança ou repreensão podem piorar a situação de um ansioso. O amor, a segurança e a compressão da família podem mudar a história de quem sofre desta doença.



segunda-feira, 18 de junho de 2012

Se não amo a mim mesmo (a) como posso amar meu cônjuge?

Bom dia meus queridos (as),
Nesta semana quero deixar uma reflexão para o casais. Muitos conflitos no casamento não se limitam apenas ao amar o outro, mas antes, e principalmente, em amarmos a nós mesmos. Pense sobre este assunto!

Sejam abençoados(as)!

Com carinho,
Iara


Quem não ama a si próprio, não se sentirá feliz ainda que tenha tudo o que deseja. Já adultos, por que parece que, internamente, muitos de nós somos como uma criança solitária e insegura, que requer proteção, carinho e afeto?

Vários de nossos conflitos conjugais e familiares são reflexos do nosso próprio conflito interno. A visão que tenho de mim mesmo determina a maneira como me relaciono com meu cônjuge e meus filhos. Como posso amar aos outros, se não consigo amar a mim mesmo?

Palavra de Deus nos mostra página a página o amor de Deus por nós. E quando entendemos este amor incondicional e eterno, passamos por um processo profundo de cura e restauração. A Bíblia afirma: “Porque como você se imagina na sua alma, assim você é” (Pv 23.7). Devemos nos valorizar com base no espelho do amor de Deus, não conforme os outros nos avaliam. Antes da Psicologia,

Paulo escreveu: “Porque somos feitura de Deus” (Ef 2.10). Feitura é vocábulo que vem do grego “poiema”, referindo-se ao trabalho manual feito por um artesão. Somos o “poema” de Deus, sua “obra de arte”. Jesus disse: “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo” (Mt 22.39). Se não me amo, como amarei as pessoas? O apóstolo João escreveu (1Jo 4.19) – “Nós o amamos porque Ele nos amou primeiro”. Quando nos abrimos para o amor de Deus, sentimo-nos amados de modo pleno e podemos amar mais as pessoas, principalmente, os nossos familiares. Deus nos ama e nos aceita como somos, devemos nos questionar: “Por que não amaremos a nós mesmos”? É de Richard Bach, autor do livro “Fernão Capelo Gaivota”, a frase: “Durante muitos anos esperamos encontrar alguém que nos compreenda, alguém que nos aceite como somos, capaz de nos oferecer felicidade apesar das duras provas. Apenas ontem descobri que esse mágico alguém é o rosto que vi no espelho".*

Para que possamos ser benção para as pessoas, precisamos a ser benção para nós mesmos. Como vou cuidar de alguém se não me disponho a cuidar de mim mesmo?

*Fonte: Blog “Família, Raízes e Frutos”


segunda-feira, 11 de junho de 2012

Dica para sua família


Olá queridos(as)
Nesta semana especial, gostaria de deixar duas dicas importantes para manter um ambiente no lar centrado em Deus. Espero que vocês sejam abençoados. 
Com carinho, 
Iara
 
1. A hora devocional 

Marido e mulher devem investir individualmente no seu relacionamento com Deus. Isso acontecerá através da prática diária da hora devocional, que pode ser também chamada de hora a sós com Deus. Esse momento devocional deve ser marcado pelo louvor e a adoração, a leitura e o estudo da Bíblia, acompanhados de um tempo de oração em que se inclui a intercessão. É nessa hora diária que desenvolvemos uma maior intimidade com o Senhor, derramando nosso coração em sua presença. Crescemos no conhecimento da Palavra e da vontade divina para conosco. Somos consolados, exortados e aperfeiçoados como filhos amados de Deus, como cônjuges, como pais, profissionais; enfim, nossa vereda vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito (Pv 4.18). Experimentamos o gozo de uma vida cheia do Espírito.

O salmista, descrevendo a riqueza da Palavra, disse:

Tenho visto que toda perfeição tem seu limite; mas o teu mandamento é ilimitado. Quanto amo a tua lei! É a minha meditação todo o dia! Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos. (Sl 119. 96, 97,105.)

Jesus nos adverte que oremos e vigiemos para que não entremos em tentação. O apóstolo Paulo nos incentiva a orarmos sem cessar (Mt 26.41; 1Ts 5.17).

2. Reunião doméstica 

A hora devocional deve acontecer, de preferência, logo no começo do dia. A reunião doméstica poderá ser feita no horário do almoço ou à noite, antes de dormirem. O marido e a esposa vão compartilhar a Palavra, falando sobre o que aprenderam no momento a sós, e estarão orando um pelo outro e por quem o Espírito Santo direcionar. Quando os filhos chegarem, essa prática já terá sido estabelecida, gerando uma doce comunhão familiar.

(Trecho livro "Edificando Um Novo Lar" - Ciro Eustáquio e Iara Diniz)


terça-feira, 22 de maio de 2012

"De Salto, porém de joelhos"

Amados (as)
Dei uma entrevista muito especial para o blog "De Salto, porém de joelhos", que faz parte do da Mocidade da Lagoinha e tem como alvo abençoar as mulheres jovens de nossa igreja.
Gostaria muito de compartilhar com vocês. Espero que sejam abençoadas.
 http://desaltoporemdejoelhos.blogspot.com.br/



Como foi sua infância e adolescência?Houve algum fato que te marcou?
Minha infância foi marcada por brincadeiras, travessuras próprias de uma criança inserida numa grande família, mas também marcada pelo medo em função de um pai muito severo. Minha adolescência fora restrita aos estudos mas, cheia de sonhos e expectativas apesar das muitas lutas que envolviam a minha família. O fato mais marcante de toda a minha vida aconteceu aos 17 anos quando tive meu encontro pessoal com Jesus Cristo. Desde então a vida tornou-se mais bonita, mais significativa e passei a experimentar uma transformação extraordinária, a começar pela libertação do medo.
Conte-nos brevemente sobre seu testemunho de conversão:
Meu pai ganhou uma Bíblia e a desprezou. Fiquei interessada e curiosa para saber o que tinha naquele livro grande e já bastante usado. Então a tomei para mim e comecei a ler sistematicamente. Inicialmente não entendia nada mas insisti na leitura. Certa manhã, na estação da primavera, eu lia o capítulo 17 do evangelho de João e quando cheguei ao verso 20 em que Jesus ora pedindo ao Pai em favor de todos os que creriam em Seu nome através da Palavra, compreendi que Jesus orou por mim. Fui tomada de grande alegria que extravasou através das lágrimas por compreender que Deus não era um Deus distante e que Ele sabia o meu nome, que eu era e me amava. Assim, a minha experiência de novo nascimento aconteceu dentro do meu quarto com a porta trancada, onde apenas o Espírito Santo movia através da Palavra para levar-me à salvação.
A grande maioria das mulheres são sonhadoras e anseiam pelo casamento, pelo grande amor... Com você também foi assim?
Sem dúvida. Fui criada num lar onde o casamento era valorizado, despertando assim o sonho de encontrar alguém e me casar para ser esposa, mãe, dona de casa e depois uma profissional.
Seu casamento com o Pastor Ciro é uma grande referencial. Fale um pouco da união de você
Conheci Ciro e aos poucos ele foi me conquistando. Namoramos e noivamos convictos da bênção e do propósito de Deus para as nossas vidas. Temos hoje 31 anos de casados e, ao longo desses anos enfrentamos muitas lutas e desafios, mas em todo o tempo experimentamos da graça, da bondade e da misericórdia do Senhor. Não somos perfeitos e nem melhores do que ninguém. Temos diferenças, já tivemos muitos conflitos. Entretanto, algo que sempre marcou a nossa relação foi a certeza do amor de um para com o outro, a capacidade para perdoar sempre e o compromisso com o Senhor e a Sua Palavra.
Em relação a sua experiência com a maternidade. Qual foi seu maior desafio na educação dos seus dois filhos?
Isabella e Alexandre são duas joias preciosíssimas. Presentes de Deus. Não experimentei grandes dificuldades como mãe. Mas penso que o maior desafio que uma mãe pode ter é o de fazer dos seus filhos discípulos de Jesus. Demanda tempo, coerência entre o que ensinamos e praticamos, muita oração e acompanhamento sistemático da vida dos filhos. Sou muito grata ao Senhor pois tanto Isabella quanto Alexandre se renderam a Jesus ainda na tenra idade.

Em que momento surge a Iara escritora?
Ser escritora era um sonho desde os meus nove para dez anos de idade quando respondi a uma professora que eu seria uma escritora quando crescesse. Como Deus toma o que falamos ou nos leva a falar já de acordo com o Seu propósito, no ano de 2000 lancei o primeiro livro, o Edificando Um Novo Lar, com a co-autoria do meu esposo. Este livro nasceu a partir da necessidade de ter um material como base para o Curso de Noivos da Igreja Batista da Lagoinha. O segundo livro, A Plenitude da Mulher Cristã, foi uma resposta a solicitações de várias mulheres depois de terem ouvido a mensagem através de uma pregação. Quando se escreve o primeiro e o segundo livro não tem mais volta. A gente quer sempre registrar as ideias, as experiências que Deus vai imprimindo em nós. Eu sei que é muito pouco o que escrevi até hoje. Eu tenho grandes sonhos nesta área e tenho a convicção que Deus é fiel para torná-los realidade.
Como psicóloga, qual a maior dificuldade percebe nas mulheres do século XXI?
Lidar com a ansiedade e a depressão, desencadeadas por uma época tão opressora em que a mulher tem que transitar entre o casamento, a maternidade, o lar e a realização profissional. O mercado de trabalho é extremamente opressor e a mulher criada por Deus como um ser mais sensível e mais afetivo, consciente ou inconscientemente, lida com a culpa por não se dedicar como gostaria às pessoas de seus relacionamentos afetivos, especialmente os filhos. Isto falando daquelas que são casadas. Mas a mulher solteira também não está isenta das pressões advindas da sociedade. Ela lida com cobranças em relação ao casamento, ela olha em volta e não encontra um homem que esteja buscando crescer espiritual e profissionalmente com quem possa se casar. Nesta época as mulheres estão avançando mais que os homens do ponto de vista acadêmico e profissional, tornando assim um grande desafio para a realização do sonho do matrimônio. Isso gera frustração e angústia.

Recentemente uma pesquisa divulgou que as grandes empresas têm optado por contratar mulheres com vida familiar estável,
 pois perceberam que as mulheres workaholics (viciadas em trabalho) são, inexplicavelmente, menos rentáveis e talentosas.Qual a sua opinião a respeito?
Não tive acesso a essa pesquisa mas penso que a mulher de vida familiar estável é também uma mulher emocionalmente estável. Portanto, poderá demonstrar mais equilíbrio no desempenho das suas funções profissionais, que sem dúvida resultará em produtividade maior. A mulher considerada uma workaholic não consegue relaxar e nem descansar em tempo apropriado. Sentir-se-á mais cansada, estressada e sem condições de produzir adequadamente como profissional.
Uma frase popular diz que o casamento é uma "instituição falida"em contra partida o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) afirma que os casamentos caminham numa crescente. Na sua opinião, mesmo com tantos desafios, as pessoas continuam acreditando na família?
O casamento não é uma instituição falida, pois, é um projeto do coração de Deus. Todo ser humano, ainda que alguns neguem, tem o sonho de estabelecer um relacionamento em amor edificando uma família. Somos seres sociais, afetivos e precisamos desesperadamente de alguém que nos aceite, nos ame e nos reconheça como um ser especial. Da mesma maneira desejamos repartir amor e fazer o outro sentir-se especial. Por isso o número de casamentos continua crescendo. De alguma maneira isto denuncia que as pessoas continuam acreditando na família. Entretanto, há também uma preocupação com a falta de seriedade e compromisso que tem marcado os casamentos deste tempo. Há uma banalização da aliança conjugal. Na mesma medida que se casam, descasam. Trocam de marido e esposa como se troca de roupa, de acordo com a estação. Mas o casamento é uma construção e deve prevalecer durante todas as estações da vida.

Qual o papel da mulher no lar e na sociedade?

A mulher exerce o papel de construtora do lar. A Bíblia diz que a mulher sábia edifica a sua casa. Ela é responsável pelo clima emocional do ambiente familiar. Se a mulher está bem, as relações familiares tornam-se mais saudáveis. Se ela está mal todo o lar fica sob tensão. Exerce a função de companheira, auxiliadora, incentivadora e cuidadora do marido e dos filhos. A Bíblia diz em Provérbios 6:20: Filho meu, guarda o mandamento de teu pai e não deixes a instrução de tua mãe e ainda em Provérbios 31:26 diz:  Fala com sabedoria, e a instrução da bondade está na sua língua. Esses textos denunciam que a mulher deve ser uma educadora sábia dos filhos, auxiliando assim o marido na sua função de pai.
Você acha que é possível uma mulher ser realizada e feliz sem constituir uma família?
Claro que sim. Disse numa resposta anterior que todo ser humano anseia por um relacionamento afetivo tendo alguém especial e fazendo alguém se sentir especial. Entretanto, a felicidade não se baseia nos relacionamentos afetivos ou no casamento, mas sim no relacionamento íntimo com Aquele em quem se encerra toda felicidade que é Jesus Cristo. Quando a mulher sente-se bem com Deus, ela poderá sentir-se bem consigo mesma, buscando na vida outras realizações que não sejam o casamento.
Submissão é uma palavra muitas vezes mal compreendida até mesmo dentro das igrejas. Como você enxerga isso?
Submissão é uma das palavras mais lindas apresentadas na Bíblia, pois ela fala do zelo de Deus para com a mulher. Estar na posição de submissa à autoridade do marido é estar protegida. O grande problema é que as pessoas não compreendem o real significado desta palavra, vinculando-a ao desvalor da mulher. Mas quando compreendemos que a submissão é a missão que a mulher tem abaixo da missão do homem, que é amá-la como Cristo amou a Igreja, tudo fica mais fácil. Submissão não é sinônimo de subserviência. Submissão, sabedoria e auxílio andam de mãos dadas, fazendo com que a mulher estabeleça um companheirismo inteligente para com o homem.

Deixe uma palavra para as mulheres que irão ler essa entrevista:
Queridas, busquem sempre em Deus graça, sabedoria, força para desempenharem seus papéis como mulher. Esposa, mãe, dona de casa, profissional, pastora, conselheira ou qualquer outra função deve ser desempenhada com espírito de gratidão a Deus. Por mais simples que seja o nosso serviço, este deve ser oferecido a Deus como uma oferta de adoração. Receberemos d’Ele alegria e poder para viver, experimentando uma vida mais saudável e equilibrada. O que estou tentando dizer é que a murmuração deve ser afastada da vida da mulher.

Bate bola-Responda com uma palavra:


Ser mulher é:
 Fantástico
E ser mãe:
 
Privilégio
O melhor lugar do mundo:
 
Minha casa
Dinheiro:
 
Necessário
Uma viagem inesquecível:
 
Europa
A Iara sai do sério quando:
 
Enganada
Um som bom de ouvir:
 
Pássaros
Um cheiro bom:
 
Flores
Uma palavra feia:
 
 Mentira
Uma palavra linda:
 
Amor
Atualmente está lendo:
 
Estudos no Sermão do Monte – Martyn Lloyd Jones
A vida é:
 Maravilhosa
Família:
 
Tesouro
Jesus:
 
Tudo
Uma frase:
 
O lugar mais rico, mais seguro e mais prazeroso para se estar é onde Deus deseja que estejamos, apesar das tempestades.